Escolha uma Página

Locação de obra: comece bem sua construção

por Jéssica Huller

A locação de obra é o ponto de partida da sua construção e deve ser realizada com cuidado e precisão para evitar problemas. Neste texto resumimos de forma clara os pontos indispensáveis desta etapa.

Realizar a locação de obra nada mais é do que demarcar no terreno a posição dos principais elementos da construção, começando pela fundação e alguns elementos estruturais intermediários, sempre seguindo as orientações de projeto. Para começar o processo de locação, é necessário que o terreno esteja limpo: sem entulhos, materiais de construção ou vegetação.

As escolhas dos equipamentos e materiais a serem utilizados, além da equipe que fará o serviço, influenciam diretamente no resultado final da sua locação. Sendo assim, especialmente em obras mais complexas, recomenda-se o uso de equipamentos eletrônicos (estação total, nível a laser) e o advento da topografia.

Uma locação com erros de esquadro ou medida fará com que sua construção fique com medidas diferentes das especificadas em projeto, gerando retrabalho de mão de obra e desperdício de materiais. Sendo assim, tenha atenção redobrada nessa etapa: tudo o que você não quer é já iniciar sua obra com problemas e custos extra.

Entre os tipos de locação possíveis, pode-se destacar três mais comuns no mercado brasileiro para que você então possa identificar o que melhor se adapta ao seu empreendimento.

1. Locação por Cavaletes 

Esquema de cavaletes de locação (Fonte: ConstrufácilRJ)

Esse método de locação é indicado para obras simples de pequeno porte, tendo a vantagem de utilizar menor quantidade de recursos  em relação à outras técnicas.

Os cavaletes são formados por duas estacas e uma travessa de onde saem os alinhamentos, conforme a imagem ao lado. A travessa deve estar nivelada e confere maior estabilidade à estrutura.

A maior dificuldade deste processo é manter os cavaletes ajustados devido ao fluxo de máquinas e pessoas em seu entorno.

2. Locação por Tábua Corrida

Esquema de tábuas de locação (Fonte: Tecponto)

Técnica recomendada para obras maiores ou com muitos elementos, em que se contorna a futura construção com cavaletes contínuos compostos de estacas e tábuas niveladas. Além disso, são cravados pontaletes para definir o gabarito e conferir maior estabilidade ao contorno. Esses pontaletes já devem ser colocados nivelados e alinhados. 

3. Locação Topográfica

Esse processo é recomendados para obras de grande porte ou com muitos elementos a serem locados, uma vez que confere maior precisão às medidas. Exige a contratação dos serviços de uma equipe de topografia e gera uma execução mais organizada da obra, favorecendo o cumprimento de cronogramas.

Estação total (Fonte: Angular Topografia)

O início da locação topográfica está diretamente ligado aos serviços de topografia realizados anteriormente:

  • A planta topográfica do terreno é feita com base em pontos de referência;
  • Os projetos da edificação são feitos em cima da planta topográfica (atentar para o uso do mesmo sistema de coordenadas);
  • A locação utiliza os pontos de referência para passar as coordenadas do projeto para o terreno.

O método mais comum para a locação de pontos é utilizando-se coordenadas polares (medição de distâncias e ângulos), tendo como referência dois pontos de coordenadas conhecidas e organizando os dados em uma Caderneta de Locação.

a) Locação de Fundações

Essa etapa da locação deve ser feita com cautela, pois servirá de base para as demais locações. No caso da locação de estacas, por exemplo, seu correto posicionamento é essencial para a distribuição de cargas conforme projeto.

No caso de uma fundação superficial, como uma sapata, é importante assegurar a cota e a  posição da mesma, garantindo a centralização do carregamento do pilar. Um deslocamento neste carregamento pode gerar cargas para o qual a sapata não foi dimensionada, causando danos à estrutura.

b) Locação de Elementos Estruturais

Assim como nas fundações, um erro na locação de um elemento estrutural afeta a distribuição de cargas da edificação. Um pilar posicionado erroneamente, por exemplo, afetará a carga em todos os demais pilares.

Além disso, é nesta etapa que serão alocadas as esperas para instalações elétricas e hidráulicas, evitando desperdícios futuros com correções e furos em elementos estruturais.

Dicas

  • Fazer a conferência da distância de pilares até o eixo auxilia na identificação de erros na locação.
  • Ficar atento às atualizações no projeto diminui retrabalhos, pois, especialmente no início da obra, o projeto pode sofrer constantes revisões.
  • A concretagem dos pontaletes na terra confere mais resistência e evita movimentações do mesmo.
  • Pintar o gabarito de branco irá lhe auxiliar na visualização das marcações e linhas.
  • O topógrafo deverá deixar os níveis de cota marcados no terreno para auxiliar na realização das escavações.
  • O topógrafo deve deixar mais que um ponto de referência no terreno, preferencialmente em locais fixos, como postes.

 

Resumo

Podemos afirmar que a locação é uma etapa essencial para um início de obra com qualidade, que garante as medidas de projeto e auxilia no cumprimento do seu cronograma e orçamento. Em caso de obras maiores (acima de 2 pavimentos ou com subsolo), vale a pena investir em um serviço de locação topográfica, não apenas para as marcações iniciais, mas também para acompanhar o decorrer da construção, locando os elementos estruturais subsequentes e garantindo a conformidade da edificação.

Saber um pouco mais sobre o processo de locação vai lhe ajudar a entender a melhor opção para seu empreendimento, evitando problemas futuros e gastos desnecessários.

Jéssica Huller

Consultora de Implementação

É graduanda de Engenharia Civil na Universidade Federal de Santa Catarina. Foi empresária júnior no EPEC – Escritório Piloto de Engenharia Civil e hoje atua como Consultora de Implementação na Conaz, auxiliando as empresas a otimizar seus processos de cotação e compras.